Sustentabilidade sobre duas rodas

Reportagem sobre sustentabilidade e os Ecos Bikers, publicada no Correio Popular de quinta-feira - 18 de agosto de 2011.

Eco’s Bikers reúne pessoas de todas as classes para divulgar ações de respeito ao meio ambiente

Fabiano Ormaneze
ESPECIAL PARA A AGÊNCIA ANHANGUERA
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Integrantes do Grupo Eco’s Bikers, fundado há três anos para difundir hábitos saudáveis e a proteção dos recursos naturais

Nem bem se completaram as 19h e as bicicletas já enchem os arredores da Praça do Coco, em Barão Geraldo. Empresários durante o dia, agora estão de bermudas, camisetas, tênis, capacete e luvas—equipamentos de segurança obrigatórios por lá. Da mesma forma, donas de casa, pedreiros, funcionários públicos, ambientalistas, médicos, enfim, gente de todas as profissões e níveis sociais, vestem-se da mesma forma e, sobre suas magrelas, eles estão prontos para iniciar mais um passeio do Grupo Eco’s Bikers, fundado no distrito há três anos para divulgar não só hábitos de vida saudáveis, mas também respeito ao meio ambiente e sustentabilidade. Além disso, acabou se formando um grupo que milita pela criação de novas ciclovias e o cumprimento da legislação.

Passeios e campanhas compõem atividades dos participantes

Toda quarta-feira é assim: o grupo, que chega, em algumas semanas, a ter 80 ciclistas, sai em direção a alguma estrada rural próximo ao distrito, num trajeto de cerca de 25 quilômetros, feito em aproximadamente duas horas. O ponto de saída e chegada é sempre o mesmo. Aos sábados, o grupo volta a se reunir. Por volta das 16h, outro passeio é realizado. O Eco’s Bikers foi criado pelo proprietário de um quiosque localizado na Praça do Coco, Vagner  dos Santos, e outros quatro amigos, apaixonados pelo ciclismo.

A ideia, a princípio, era formar um grupo de ciclistas que pudesse fazer passeios noturnos pelas áreas próximas ao distrito, de forma segura, mas, em pouco tempo, foram chegando mais interessados e a turma ganhou as outras funções que tem hoje. Atualmente, o Eco’s tem  800 pessoas cadastradas. O mais novo tem 12 anos. Omais velho, 79. Alguns aparecem semanalmente. Outros, de forma esporádica. “No grupo, a gente acredita que, em contato com o meio ambiente, as pessoas adquirem mais confiança e, principalmente, percebem a importância da preservação”, diz o comerciante.

Antes de saírem para o passeio, Santos e alguns ciclistas mais experientes esquematizam o trajeto a ser percorrido no dia, de acordo com as características do grupo. “Se houver muitos iniciantes, por exemplo, escolhemos um trajeto mais fácil”, diz Santos. Antes de sair, todos os equipamentos de segurança são checados. Se alguém tiver esquecido o capacete ou a luva, o fundador do grupo abre o porta-malas do seu carro para pegar as reservas. “Ninguém sai daqui sem os equipamentos necessários.” Um recado também é dado: o importante, ali, é manter o espírito de companheirismo e o respeito às normas de trânsito.



Plantio de muda de árvore nativa na mata ciliar do Ribeirão das Pedras, em Barão Geraldo: qualidade de vida também para a coletividade


Guardiões

Além dos passeios por áreas verdes e pelo incentivo a hábitos saudáveis de vida, os ciclistas se tornaram guardiões do meio ambiente e voluntários nas questões de sustentabilidade. Assim, várias campanhas já foram desenvolvidas.
Uma das mais importantes foi o reflorestamento da mata ciliar do Ribeirão das Pedras, em parceria com a Associação de Moradores de Barão Geraldo. Foram plantadas 600 mudas de árvores doadas pela Sociedade de
Abastecimento de Água e Saneamento S.A. (Sanasa).

O casal Cândido e Patrícia Terra faz parte do grupo há pouco mais de dois anos. Eles descobriram o prazer de
pedalar à noite e com preocupação ambiental após verem um cartaz do Eco’s Bikers. Empresário e gerente administrativa, eles moram no Centro, mas vão pedalar todas as quartas em Barão Geraldo. “É uma forma de recarregar as energias no meio da semana”, diz ele. A mulher destaca, principalmente, o apelo ambiental. “Pedalar em contato com o meio ambiente é um grande ganho. No meu caso, só aumentou a preocupação com a sustentabilidade e ações de preservação”, explica.

O grupo também tem autorização para pedalar em áreas particulares, como a Fazenda Rio das Pedras. Por esses
locais, os ciclistas se tornam vigilantes, ajudando a denunciar áreas que estejam sendo degradadas. O grupo já foi responsável por ajudar a apagar incêndios ou, em casos mais graves, chamar os bombeiros e evitar desastres ecológicos.

Manifestações

Da mesma forma, por meio desses passeios, os Eco’s Bikers perceberam que construções estavam desrespeitando o limite de proteção à beira de rios e córregos. O grupo iniciou, então, uma série de manifestações e cobranças ao poder público para que a legislação fosse cumprida. Da mesma forma, o grupo tem fiscalizado para que a Lei 13.288, sancionada em 2008, saia do papel. De acordo com essa legislação, todas as novas vias que surjam em Campinas precisam ter áreas reservadas ao trânsito de bicicletas.

Por causa do envolvimento com as causas ambientais, os Eco’s Bikers tem sido convidados por escolas e outras instituições para projetos, palestras e visitas. Atualmente, o grupo também está formalizando a documentação para obter registro jurídico como organização não governamental (ONG).

Saiba mais

Para conhecer mais sobre o grupo Eco’s Bikers e conferir a programação das atividades, acesse  www.ecosbikers.com.br.


Os ciclistas fazem aquecimento na Praça do Coco antes de iniciarem mais uma pedalada noturna



Praça do Coco se tornou referência de nova cultura


Família transforma local em ponto de encontro ecológico

A Praça do Coco se tornou um ponto de sustentabilidade e de cultura no distrito de Barão Geraldo. Há cerca de
dez anos, o lugar estava descuidado, sem nenhuma atividade. Foi aí que Vagner dos Santos e o pai dele, Valdir, decidiram estacionar ali uma velha Kombi para comercializarem água de coco. Aos poucos, a família fez uma série de intervenções na praça, inclusive, plantando mudas de árvores nativas. Também foi construído um banheiro público e montado um parquinho. Pela praça, placas passaram a dar informações históricas sobre Barão Geraldo ou então dicas e orientações para a preservação do meio ambiente.

Além de ser o ponto de encontro dos Eco’s Bikers, a Praça do Coco também realiza sessões mensais de cinema,
abertas ao público. Uma vez por mês, os moradores do distrito são convidados a levar uma cadeira para a praça e a assistir a um filme nacional. A praça, aos sábados, também é o local de uma feira de artesanato, inclusive, com opções de produtos sustentáveis. (FO/AAN)

Copyright © PracadoCoco.com.br. Todos os direitos reservados. Site Everus.com.br.